None

Veja 6 métodos de ensino que estão revolucionando a educação infantil

Para uma boa aprendizagem, é essencial contar com métodos de ensino eficazes e coerentes com as características da instituição. Para a educação infantil e fundamental, existem alternativas inovadoras que estão revolucionando as maneiras de se ensinar e aprender, o que representa resultados cada vez melhores.

Nesse sentido, é preciso avaliar os recursos disponíveis na escola, o perfil do público recebido e dos professores, além da missão defendida pela instituição. Ter esses critérios em mente ajuda a encontrar a melhor metodologia para a sua realidade e aproveitar todos os benefícios.

Para uma escolha consciente, o primeiro passo é conhecer as opções disponíveis. Confira, a seguir, os 6 principais métodos de ensino inovadores e veja qual mais combina com a sua instituição.

1. Montessoriano

Um dos métodos de ensino para crianças mais consagrado é o Montessoriano, desenvolvido pela médica italiana Maria Montessori e seus colaboradores. A médica e pedagoga revolucionou a educação em seu tempo, afinal, a aprendizagem era marcada por rigidez e castigos.

Nesse cenário, Montessori propôs estímulos para liberdade, individualidade e criatividade. O método desenvolvido pela médica até hoje é considerado inovador e inspira muitas escolas. Para isso, a interação com o ambiente é fundamental. Assim, os materiais das aulas e os brinquedos devem permanecer acessíveis às crianças o tempo todo.

Dessa forma, os pequenos podem manifestar seus interesses de maneira espontânea, com respeito ao ritmo individual. Os estímulos sensoriais também são essenciais, visto que, Montessori considerava que o intelecto está relacionado à experimentação. A metodologia é baseada em seis pilares:

  • autoeducação;
  • educação como ciência;
  • educação cósmica;
  • ambiente preparado;
  • adulto preparado;
  • criança equilibrada.

2. Metodologias Ativas

As metodologias ativas contam com um leque amplo de opções para a educação inovadora. Esse conceito tem como base o protagonismo do aluno, ou seja, o processo de ensino-aprendizagem é focado na experiência do estudante. Com isso, é uma alternativa eficaz para todas as etapas da educação, do ensino infantil ao superior.

Alguns recursos que podem ser explorados nesse contexto inovador são:

  • sala de aula invertida — os alunos conhecem o conteúdo previamente e a aprendizagem acontece a partir das suas dúvidas e percepções;
  • ensino híbrido — combina aulas presenciais e à distância para aprofundar os conhecimentos;
  • gamificação — a escola usa jogos diversos para tornar o ensino mais atraente e divertido;
  • cultura maker — os alunos aprendem fazendo e utilizam diferentes materiais para criarem produtos, solucionarem problemas ou desenvolverem tecnologias;
  • aprendizagem por projetos — é ótimo para incentivar a interdisciplinaridade, pois os estudos são colaborativos em prol da solução de problemas.

3. Freiriano

A metodologia de ensino freiriana é baseada no ideal de educação de Paulo Freire. O educador acreditava que a consciência crítica e a autonomia deveriam ser centrais no ensino. Dessa maneira, o professor também aprende enquanto ensina e a escola se torna um espaço colaborativo de construção de conhecimentos.

Assim, o professor é mediador no processo educativo. Nesse método de ensino, a realidade do estudante é importante. Por isso, é preciso considerar os conhecimentos locais, regionais e individuais.

Dentre os benefícios dessa metodologia, é possível destacar: autoestima, pensamento crítico, autonomia, consciência social e empatia. Um de seus objetivos é tornar o ensino mais atraente para o estudante, com isso, pode também proporcionar melhores resultados nos estudos.

4. Pikler

A abordagem Pikler não é uma metodologia de ensino fechada, mas, uma filosofia educacional. Foi desenvolvida pela pediatra Emmi Pikler. Seu foco é no desenvolvimento de bebês, por isso, está mais alinhada com a educação infantil. O objetivo é proporcionar bem-estar físico, afetivo e psíquico desde os primeiros anos de vida.

Nesse sentido, a abordagem Pikler defende que cada criança seja atendida a partir das suas características. A escola precisa oferecer um ambiente adequado para que o desenvolvimento aconteça plenamente.

Essa filosofia educacional pode ser posta em prática tanto nos centros de educação infantil quanto em casa, com acompanhamento dos pais. Dessa maneira, é importante estabelecer um vínculo de confiança com o bebê, proporcionar experiências de brincadeiras livres e estimular o autoconhecimento.

5. Construtivista

O modelo construtivista é baseado nas teorias de Lev Vygotsky e Jean Piaget e já é aplicado no Brasil desde a década de 1980. Apesar de não ser uma proposta nova — da mesma forma que outras metodologias citadas —, ainda é uma inspiração para muitas metodologias de ensino inovadoras, portanto, merece atenção. Efetivamente, defende que o conhecimento é construído e não adquirido.

Nesse contexto, o aluno "aprende a aprender", ou seja, adquire ferramentas para que desenvolva o seu pensamento autonomamente. As experiências práticas são muito relevantes para essa proposta pedagógica. Assim, os educadores devem incentivar os estudantes a aplicarem os conhecimentos.

No que se refere às avaliações, não existe resposta certa e errada, é importante que se considere o raciocínio do aluno para que se possa pensar coletivamente. Além disso, o método construtivista observa cientificamente qual estágio do desenvolvimento em cada idade para pensar em estratégias de ensino mais adequadas.

6. Waldorf

A metodologia Waldorf foi criada pelo filósofo Rudolf Steiner e considera que os primeiros sete anos de vida são fundamentais para o desenvolvimento humano. Assim, durante esse período, que é chamado de primeiro setênio, a aprendizagem deve ser incentivada conforme as características de cada criança.

A pedagogia Waldorf é ancorada em três princípios: pensar, querer e agir. Com isso, tem o objetivo de formar indivíduos mais livres, conscientes e responsáveis, o que precisa ir além do aprendizado puramente intelectual.

As aulas contam com a presença marcante das artes, do contato com a natureza e dos trabalhos manuais. A aprendizagem é dividida em ciclos e não em séries, como acontece na educação tradicional.

Portanto, para escolher o melhor método de ensino é preciso observar qual deles mais se alinha à sua instituição. Podemos ver que todos têm em comum a aprendizagem prática e o protagonismo do estudante. Apesar de a maior parte deles ter sido proposta há décadas, suas ferramentas ainda são consideradas inovadoras. Com a tecnologia, temos o potencial de expandir ainda mais as possibilidades e melhorar cada vez mais a escola.

Já conhecia todas as metodologias citadas? Faça com que outras pessoas descubram também sobre os métodos inovadores compartilhando este post em suas redes sociais.